Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Rapariga na Aldeia

A Rapariga na Aldeia

Os Melhores Professores do Mundo

Completa(MENTE) escrito por Sónia Vaz

 

É dia da criança. Dia de pensar mais nos seus direitos que deveres. Dia de brincar. Dia de ser livre, de ser autêntico, de ser mimado. É o dia deles e também o nosso, se somos adultos que se recusaram a crescer sérios, graves, obtusos. 

pastedImage.png (Créditos: Pixabay)

 

Tenho por isso, que falar das minhas crianças. Aquelas que me inspiram, me ajudam a ser melhor e me ‘obrigam’ a brincar.

Achei assim, que hoje era o dia de vos contar uma brincadeira que fizemos cá em casa uma destas noites por causa da minha mais nova, que apesar de ser uma querida é um ser mandão. Um ser muito mandão que à noite, depois do jantar organiza e dinamiza convívios entre os quatro, quando todos queremos um pouco de paz e silêncio. Nessa noite, o meu ‘Gru’ como eu carinhosamente lhe chamo (sim, vem mesmo de onde imaginam, do filme Gru Maldisposto) decidiu ditatorialmente que havíamos de brincar às escolas, sendo eles os professores e nós, adultos, os alunos.

 

Lá fomos nós, claro! (Haveria outra hipótese???) Quando chegámos à escola já tínhamos fichas à nossa espera nos lugares. Fichas, fichas, fichas. E depois, gritos, gritos, gritos. Fiquei horrorizada com os professores que os meus filhos, especialmente o mais velho, que já frequenta o 1º Ciclo, representaram. O ‘Gru’ era mais calmo, mais ponderado. Ainda só passou por educadoras. Fiquei verdadeiramente triste e pensei desistir da brincadeira. Mas fiquei e aproveitei para fazer da minha ficha um protesto e simultaneamente um pedido de ajuda. Mas os comentários do ‘professor’ eram sempre depreciativos, do tipo “ler tudo antes de entregar o teste!!!” e nunca, nunca, uma palavra de motivação pelo meu esforço depois de um dia de trabalho. Assim, respondi à primeira questão que me pedia que escrevesse um texto:

 

Os Melhores Professores do Mundo

Era uma vez um mundo onde a escola era ao contrário. Os alunos eram adultos e os professores, crianças.

Os alunos achavam que já sabiam tudo. Eram resmungões e preguiçosos. Falavam muito alto. Não ouviam os professores.

Os professores eram mais baixinhos do que os alunos. Eram sorridentes e brincalhões. E afinal, tinham muitas coisas para ensinar. Por exemplo, eles sabiam que para as crianças aprenderem, não precisam de deixar de brincar. E que o respeito não se conquista sem um sorriso. E que quem não grita, é quem se ouve mais.

Nesse dia, adultos aprenderam com crianças e crianças mudaram o mundo. São elas, os melhores do mundo.

 

Fica o repto. O resto cabe-nos a nós mudar, todos os dias, um bocadinho!

 

Obrigada por um ano de Completa(MENTE) e digam-me, como são para vocês os melhores professores do mundo?

 

thumbnail_2017-07-02-PHOTO-00000294.jpg

Sónia Vaz

Professora de Inglês - 1º Ciclo