Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Rapariga na Aldeia

A Rapariga na Aldeia

Completa(MENTE) 9

A professora que sabe as letras das músicas todas…

 

Ensino crianças do primeiro ciclo, e como tal, é comum receber desenhos e papelinhos com mensagens amorosas dos meus alunos (pedidos de desculpa, agradecimentos ou apenas manifestações de carinho). No início de 2018, porém, recebi um bilhete de feliz ano novo para a “professora que sabe as letras das músicas todas”. 

27745036_1293060370793506_1747006221_o.jpg

E isto fez-me pensar. Primeiro, em quão bem os meus alunos me conhecem, segundo, no tema para esta rubrica. A música. E como a sua utilização na sala de aula (e em casa) nos pode ajudar a acalmar as nossas feras. 

 

Como sabem, sou de natureza reflexiva, e desde cedo, sempre, em tudo, me habituei a ter a música como companhia. Quando estou a trabalhar, a cozinhar, a tomar banho, a adormecer os meus filhos, a divertir-me, a conduzir, a pensar, a escrever… Nunca tinha tido a noção de que é mesmo constantemente (apesar de o meu filho fazer reclamações inúmeras de que passo a vida a ouvir “aqueles fados brasileiros” – a melhor descrição de sempre para as lindas baladas da Maria Gadú que me enchem o coração). Por sua vez, na escola, não sou mais do que uma uma extensão de mim própria, e como tal, a música também lá está, amiga fiel, para me acompanhar. Nada de novo. Podem pensar. Vários professores o fazem. E eu própria fui mudando (aumentando) a minha maneira de usar a música. Sou professora de inglês e ensino, sobretudo, alunos com idades compreendidas entre os 4 e os 10 anos. Desde sempre tive que ensinar canções. Mas cedo passou a ser mais do que isso. Comecei a fazer as minhas próprias rimas e rotinas de aula a cantar. Cantar para lhes pedir silêncio, para fazerem fila, para passarem do tapete para a mesa.

 

Mas sentia que não chegava. Continuava a sentir dificuldades em controlar o tempo de certas atividades. E então, comecei a usar a música de outra forma. Assim, enquanto os alunos copiam o sumário – e não queremos que eles demorem vinte minutos a fazê-lo – passo uma música, e eles sabem que é esse o tempo que têm para executar essa tarefa. Também quando fazem exercícios, em pares ou individualmente, o tempo de realização é negociado dessa forma. Uma canção ou duas? Quando a música para, todos param para dar lugar à correção.

 

Também uso música de relaxamento e meditação durante os testes, para ficarmos todos mais tranquilos (sim, também fico stressada) e pensarmos melhor. Quando há conflitos e todos temos de ficar dois minutos a pensar na vida. Quando a turma está agitada e temos de fazer silêncio.

 

Música para dançar, para estreitar relações, relaxar, cantar, sorrir. Tornar mais leve o tempo da aula, mais prazerosa a atividade, mais rápida a assimilação. Música para tudo, para todos, sempre. Que como diz a Maria de Vasconcelos, “tudo é mais fácil a cantar”.

 

E vocês, como vivem com a música?

thumbnail_2017-07-02-PHOTO-00000294.jpg

Sónia Vaz 

2 comentários

  • Perfil Facebook

    Sónia Vaz 07.02.2018

    Obrigada! 🎼
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.