Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Rapariga na Aldeia

A Rapariga na Aldeia

Completa(MENTE) 8

Tecnologia (apenas uma colher de chá)

 

Eu sei. Eu sei que não nos podemos alienar do mundo, nem privar os nossos filhos ou alunos do contacto (tão importante para a sua futura vida profissional, com a qual passamos a vida tão preocupados, e para a qual os preparamos intensamente, diariamente – soou sarcástico? Era mesmo para sê-lo!) com computadores, tablets e outros ‘gadgets’. É um facto, queiramos ou não. Gostemos, ou não.

 

Confesso, a facilidade (o comodismo!) de um quadro interativo (ou de um projetor) faz maravilhas numa sala de aula. Não só para a exposição de matérias, mas porque temos tudo ali tão à mão: imagens, vídeos, dicionários, o mundo. Mas uma aula tem de ter mais do que isso, pois na minha opinião, estas ferramentas prendem o professor à parte da frente da sala de aula, e embora do ponto de vista visual, atraia os alunos, do ponto de vista humano, afasta-nos deles. Perde-se a essência de todo o processo ensino-aprendizagem, porque toda a aula está centrada no professor e na manipulação da informação, em lugar de estar focada no aluno. Ora isto, não me parece nada o ensino que se quer no séc XXI.

4273-thumb.jpg

Usemos então apenas uma colher de chá de tecnologia, na extensa receita do nosso plano de aula. Para se mostrar o vídeo ou explicar a matéria. Depois, deixemos de ser o centro das atenções e passemo-las para quem delas precisa: os nossos alunos. Estes devem trabalhar autonomamente, em pares ou pequenos grupos. Devem colaborar, discutir, trocar ideias (sem estarem a olhar para o quadro, sem estarem a olhar para nós). E nós, não fazemos nada? Claro que sim. Mediamos os conflitos, lançamos sementes com ideias, tiramos dúvidas, chegamos aos nossos alunos, estamos com eles, lado a lado, de igual para igual, envolvidos no trabalho, sem dar pelo tempo passar. A sério, experimentem. É maravilhoso. Às vezes, dou por mim, ao fundo da sala, em silêncio, a observar. É verdade, eles estão a conversar, mas também estão mesmo a trabalhar. A APRENDER.

 

Também sei de cada vez mais escolas que estão a implementar um ensino sem livros ou cadernos em papel (sou apaixonada por livros, isto parte-me o coração). Apenas tablets ou computadores portáteis. Claro que aí não dá para usar apenas uma colher de chá. Vou parecer mesmo old fashioned agora. Mas não entendo quais as vantagens, a começar pela visão dos nossos alunos, de tais projetos. Parecem-me interativos do ponto de vista tecnológico, e modernos, sim. Mas há interação entre os alunos? Há socialização? A escola forma pessoas para viver no mundo, pessoas que têm de se relacionar, dialogar, abrir mão das suas ideias, ouvir os outros, levar as suas ideias para a frente…

 

Não estaremos a ser um pouco escravos do avanço tecnológico em detrimento de outras capacidades que os nossos alunos também devem desenvolver?

 

Fica a pergunta. (E as repostas não precisam de ser q.b.😁)

thumbnail_2017-07-02-PHOTO-00000294.jpg

Sónia Vaz 

 

8 comentários

Comentar post

A Blogger:

Cátia Santos catiafsantos@hotmail.com

Segue-me:

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D