Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Rapariga na Aldeia

A Rapariga na Aldeia

O Poder das Palavras

Era uma vez uma menina que tinha um pézinho na adolescência mas, lá no fundo, gostava de ter os dois. Trata-se de uma rapariga muito querida, que se comove quando as histórias metem animais doentes e abandonados (agora diz que quer ser veterinária, por mim perfeito, antes veterinária que youtuber😳). São mais os dias em que "se acha" do que os outros. E não, a culpa da miúda "achar-se" não é da sua mãe. As boas notas escolares reforçaram-lhe os níveis de motivação. Voltou a acreditar nas suas capacidades. Isso é bom. Anda determinada e com poucas dúvidas. Pensa que o mundo é dela porque sabe o modo conjuntivo dos verbos e o volumes dos prismas! Socorro!!!!! Limito-me a deixá-la ir até a adolescência ditar outra direção!!! 

 

Mas esta determinação toda veio acompanhada de alguma implicância, muitas das vezes sem motivo aparente. Parece que uma professora decidiu chamar-lhes (à turma) qualquer coisa como "criaturinhas do diabo". Possivelmente em jeito de brincadeira. Mas, atenção, os miúdos sentiram-se ofendidos e esta de que vos falo hoje não foi exceção!. Que horror, dizia-me ela! Não dei seguimento ao assunto! Apercebi-me que ao longo dos meses os resultados foram refletindo a dita implicância com a professora. A insegurança aumentou. O interesse pela disciplina diminuiu drasticamente. 

 

Meses depois ... 

 

- Sabes mãe, a professora chamou-me Leninha. Gosto dela! 

 

Voltou a interessar-se pela disciplina. Melhorou resultados a minha Maria Helena (Leninha para a prof. de Inglês 🤣)

 

Obrigada palavras 🙏. Obrigada professores que as dizem no momento certo! 

thumbnail_IMG_5625.jpg

 

Sigam o blogue no facebook AQUI e no instagram AQUI (@arapariganaaldeia)

"A rádio continua a ser credível"

A Filipa Galrão mostra-nos diariamente o seu lado mais fun e otimista na rádio Mega Hits. Formou-se em jornalismo mas optou pelo entretenimento quando ganhou o casting da Mega para ser repórter no Rock in Rio Lisboa. Desde aí já ninguém a tirou da rádio. E ainda bem. Faz o que gosta e ainda tem momentos em que se diverte à séria. Conversámos sobre a "magia" da rádio como forma de assinalar este Dia Mundial da Rádio. 😍

IMG_3800.jpg

 

Como é hoje um ouvinte de rádio? 

É exigente, independentemente da idade, e volátil, o que hoje é mesmo cool amanhã já não é! Hoje em dia tudo se processa muito rápido e o ouvinte é o reflexo desta realidade. O ouvinte de rádio gosta de ser surpreendido a qualquer momento e a rádio permite-lhe este fator surpresa! Por outro lado, o ouvinte gosta de sentir que está alguém a falar para ele e que, simultaneamente, lhe faz companhia. 

 

Como descreves a "magia da radio"?

 

Alisamento Capilar Marrroquino

Como é que hei-de começar este texto sendo que se trata de uma questão absolutamente fraturante e, digamos, deveras preocupante para a humanidade ... ? 

Cá vai 🤦‍♀️

 

O meu cabelo não tem jeito nenhum. Nem é liso liso liso, nem encaracolado, nem fica giro ao natural! Ái amigas, aquele drama!! Se fizer uma pequena retrospetiva de como tem sido a nossa relação, chego à conclusão que tenho sido uma serva do senhor meu cabelo. Sim, ele quase me dá ordens! Chego mesmo a pensar que tem uma personalidade muito forte que, claro está, choca com a minha! Muitas vezes apetece-me discutir com ele mas sei que, à partida, a vitória será dele pois sou eu que tenho de estar meia hora por dia a tentar compô-lo! Sempre que tenho um evento lá vou eu a correr à Fábia. Mas o martírio continua no dia seguinte porque o lavo e é SEMPRE preciso dar-lhe um jeito com escova e prancha, a tal meia hora por dia. É porque não consigo ver-me com o cabelo seco ao natural, sem secador. Isso para mim é mito. Para ajudar à festa, sou rapariga que gosta pouco de andar no cabeleireiro. A Fábia sabe que sou uma das suas piores clientes. É que não tenho tempo nem paciência!

 

Solução para a nossa trabalhosa relação - um Alisamento Capilar Marroquino. É este o nome pomposo para o tratamento que fiz a semana passada. É à base de queratina, argila branca e óleo de cacau. Acho que mais do que um alisamento fiz um merecido tratamento neste meu cabelo rebelde. Já o tinha feito há uns anos e, de facto, o cabelo fica com um ar muito saudável, como se lhe tivesse sido devolvida a beleza natural que, enfim, por circunstâncias várias, havia perdido. Neste momento, o meu cabelo está disciplinado, com brilho e força. O aspeto seco e crespo foi-se embora por uns tempos! 

IMG_3798.jpg

Este tratamento é adequado para quem, como eu, não se ajeita para tratar do cabelo e tem pouco tempo para idas ao cabeleireiro. Esqueçam a questão da oleosidade e do aspeto lambido e escorrido. O meu cabelo está com bom ar, ficou sim com menos volume, tal como eu queria. Eu costumava esticar sempre o cabelo e isto mais não é do que isso mas por um período bem mais alargado. Claro que se amanhã me apetecer fazer caracóis à Marquês de Pombal posso fazer, o máximo que pode acontecer é os ditos caracóis durarem poucas horas, mas enfim amigas, não vamos querer ter tudo! 

 

Quanto à durabilidade, tudo depende da forma como o tratamos. A Fábia aconselha o uso do shampoo adequado e secar totalmente após a lavagem, e porquê? porque o alisamento ativa com o calor, ok. À partida este tratamento durará seis meses, sendo que nos primeiros quatro meses, como ainda houve pouco crescimento, o cabelo continua com muito bom aspeto. 

 

No dia em que fui fazer o alisamento sabia que iria ser um processo demorado.

 

 

Sigam o blogue no facebook AQUI e no instagram AQUI (@arapariganaaldeia)

"Voar faz-me bem"

Ao fim de dois anos do curso de engenharia, o David percebeu que queria ser piloto. O sonho de construir uma ponte ficou suspenso e deu lugar a voos mais altos, literalmente. Hoje em dia faz pontes aéreas. É semelhante 😁. Foi o primeiro da família a formar-se nesta área. Ultrapassou essa barreira e muitas outras. Sente-se profissionalmente feliz como piloto na TAP Express. Adora voar. Encontra paz assim que o avião levanta as rodas do chão. Falta-lhe conhecer Rússia e África do Sul. Se os seus três filhos quiserem ser pilotos ... o melhor é começar a fazer um mealheirozito a partir de ... agora!!  Conversámos sobre o que acontece a bordo dos aviões, perguntei de tudo um pouco. Esqueçam a infeliz teoria de que os pilotos ligam o piloto automático e metem-se a ler o jornal A Bola. Há mínimos! A conduta interna manda ler os manuais dos aviões e não outro tipo de literatura. 🤦‍♀️

26c2730e-2c70-47ec-aa34-839022a5257d.jpgDavid Inácio - piloto. 

 

Consegues recordar a sensação do teu primeiro voo? 

Lembro-me pois, tive imensa vergonha. Não encarei ninguém nesse voo. Quando as pessoas entram no avião os pilotos já estão no cockpit, de maneira que não há muito contato. No meu primeiro voo, por um motivo qualquer, tive de vir à cabine e recordo-me que entrei e saí bem rápido! Hoje em dia não tenho essa atitude, claro, já me sinto mais seguro, essencialmente menos tímido. Se vier à cabine meto conversa, cumprimento as pessoas e brinco com as crianças.

 

Como é um dia de trabalho normal? 

 

Sou Duas Mães

Completa(MENTE) escrito por Sónia Vaz 

 

(e parece que uma delas tem de ler a Constituição de 1822)

 

Sou duas mães. Porque tenho dois filhos diferentes, que precisam de coisas distintas, de afetos desiguais, de raspanetes distintos. Confesso, tomei consciência disto há imenso tempo e grande parte deste senti alguma relutância em aceitá-lo. Crescemos a ouvir que os nossos pais gostam igualmente dos nossos irmãos e de nós. Por isso, quando somos nós os pais, queremos que os nossos filhos sintam o mesmo. Mas eles nunca hão de sentir isso. Nem nós. E não se trata de mensurar o amor, porque tal coisa não existe. Principalmente o amor que sentimos por um filho, ou dois, ou dez. Não. É apenas aceitar. Que um nos ouve mais e o outro gosta mais de carinhos. Que um é curioso e precisa de respostas para tudo e o outro quer ficar sossegado no seu canto. Que um precisa de partilhar e o outro de guardar. Mas essa aceitação por vezes tarda em chegar e até lá, parece que andamos um pouco perdidos nesta coisa tremendamente difícil que é educar.

Collage_Fotor1.jpg

O clique fez-se,

 

Scones Saudáveis

Post escrito pela nutricionista Liliana Janicas 

 

Gostam de scones ao lanche? Hoje vou partilhar convosco uma receita saudável que fiz cá em casa no fim de semana, e que gostei do resultado final! É rápida e fácil de fazer e sabe bem ao lanche ou até ao pequeno-almoço 😁. 

50728477_589445891503898_140811336023015424_n.jpg

Ingredientes: (para 5 scones):

 

 

Namoro Ganha ao Casamento

O namoro ganhou ao casamento. No Instagram da Rapariga votaram em massa no namoro. E porquê? Porquê? Na minha modesta opinião, porque consideram o namoro mais giro, divertido e empolgante do que o casamento. E também porque o coitado do casamento tende a ser visto como o mais chatinho, monótono, rotineiro e sem sal de todos os tipos de relacionamento. Pois bem, eu também votaria no namoro. Assim sem hesitar. E isto não significa que não goste da vida de casada. Claro que é bom estar perto do meu gatinho todos os dias. O problema coloca-se quando não se está em modo "gatinhos" porque efetivamente há uma vida real com preocupações e inquietações várias. 

 

O namoro é uma roda viva de emoções, uma montanha russa de planos e ideias para os fins de semana. Durante a fase do namoro, as preocupações parecem estar bem lá longe. Aproveita-se ao máximo o tempo juntos e faz-se um número infinito de coisas prazenteiras. Ao passo que no casamento não é bem assim essa loucura toda. Tudo tem de ser melhor calculado sob pena de se queimar todos os cartuchos nos primeiros anos e não se conseguir fazer mais nada de interessante nos anos seguintes! Quando surge a criançada, aí sim, multipliquemos por cem as ralações que assombram as cabeças do casal. 

 

A questão é que aquele namoro empolgante, das borboletas na barriga, cabe perfeitamente dentro de um casamento. Já o contrário não sucede. As partes chatas e desagradáveis do casamento, por norma não se verificam durante a fase do namoro (de casais que vivem em casas separadas, obviamente). De maneira que, de certa forma, muitas destas preocupações retiram adrenalina e vá, sensualidade, ao casamento. É preciso um esforço de todas as partes para que o desgraçado do casamento não se torne enfadonho e sem brilho. É preciso traçar planos, escapadinhas, planear fins-de-semana fora. E é claro que isto, misturado com as responsabilidades familiares, dá uma trabalheira dos diabos, essa é que é essa. Mas lá está, pessoas que casaram, vocês sabiam que estavam a assumir um compromisso ... na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, sabendo que a conta da luz poderia atingir valores históricos, a máquina da roupa pifar, seguida do micro ondas e do frigorífico e comprometer um ambiente que se andava a construir há duas semanas? Sabiam, não sabiam 😁? 

 

Obrigada Control pela inspiração 😍

50250705_1252263531593325_3641913489963876352_o.pn

Principal ideia a reter:

Namorem-se ♥️♥️, sempre! 

 

Sigam o blogue no facebook AQUI e no instagram AQUI (@arapariganaaldeia)

 

A Escola Inclusiva da Maria

Em junho passado partilhei a história da Maria, a menina que vive com síndrome de Mowat-Wilson, neste texto. Assumo que fiquei surpresa quando, há cerca de duas semanas, recebi um mail do pai da Maria a convidar-me para assistir à apresentação oficial do projeto A Escola da Maria. Isto porque achei que as burocracias iriam fazer suspender as boas intenções desta família e, de certo modo, condicionar-lhes os avanços. Mas não. Enganei-me, e ainda bem que eu estava errada e que os progressos aconteceram nesta bonita história de inclusão.  

IMG_3757_Fotor1.jpgMaria ♥️

Nasceu A Escola da Maria. Foi ontem apresentada em Lisboa e tem como principal objetivo dar resposta a crianças com necessidades educativas especiais. Será um espaço de inclusão, único do género, fortemente ligado ao desporto, onde haverá lugar para equipas multidisciplinares apoiarem crianças e famílias nas mais variadas áreas. Os pais da Maria, Rui e Sandra, ainda têm um longo caminho a percorrer na procura de mais parceiros e investidores para dar sustentabilidade a este projeto mas digamos que os primeiros passos, os mais difíceis, já estão dados. Espero eu, e todos os que ontem lá estavam a apoiar a família, que as próximas noticias voltem a surpreender-nos positivamente e que reforcem a máxima de que há efetivamente espaço para todos neste mundo, por vezes, tão egocêntrico.  

 

Parabéns Rui e Sandra pelo excelente caminho que seguiram. Parabéns à doce Maria por estar rodeada desta família tão especial. Um grande bem-haja a todos os que acreditaram neste projeto: investidores, parceiros, embaixadores que, à sua medida, continuam a apoiar esta causa. 

A inclusão pratica-se. 

IMG_3773.jpgEmbaixadores e apoiantes d' A Escola da Maria. ♥️

 

Mais Informações no site A Escola da Maria e na página do facebook

 

Sigam o blogue no facebook AQUI e no instagram AQUI (@arapariganaaldeia)

Courgete Recheada

Post escrito pela nutricionista Liliana Janicas 

 

Partilho convosco uma receita saudável que fiz ontem cá em casa para jantar, com a ajuda dos meus filhos! A courgete recheada fica saborosa e com ótima apresentação. É uma excelente ideia para comer vegetais mesmo para quem não aprecia muito, para cozinhar com os mais pequenos e também para experimentar algo novo! Tenho a dizer que o meu Tomás tirou muito bem a polpa da courgete 😁

50542996_2087111357978915_3560108441877872640_n 2.

Ingredientes:

 

 

Já se renderam ao Coral Vivo?

Como não sou blogger de moda e/ou uma influencer à séria, desconhecia que Living Coral é a cor deste ano. Quando sei destas novidades, tardiamente, sinto-me profundamente traída pela moda!! Não é que não tenha dado um giro (pouco expressivo mas o possível) aos saldos, a verdade é que avancei direto para essa zona da loja (com palas nos olhos para não ver peças da nova estação!), pormenor que me fez evitar o coral!

Mas agora já cá estou devidamente informada sobre o que a Pantone decretou ser a cor que mais se vai usar em 2019 - Coral Vivo.

 

Gosto da cor. Apetece-me usar muito até cansar mas, acontece que não tenho uma única peça desta cor no meu closet! Nem mesmo recorrendo à secção "dama antiga 1998", a parte mais negra e deprimente do meu roupeiro, consigo desencantar lá qualquer coisa que se aproxime de coral. Pus-me portanto em alerta, fiz as minhas pesquisas por esta internet fora e devo dizer-vos que já estou rendida ao coral vivo principalmente porque me lembra verão, sol, calor, pele bronzeada e claro, uma linda havaiana coral no pé!!!! Como não amar o verão??!! 

Collage_Fotor1.jpg

Vocês gostam da cor?

Têm peças/acessórios neste coral vivo?

Quem também já se rendeu à cor? 

 

Sigam o blogue no facebook AQUI e no instagram AQUI (@arapariganaaldeia)

A Blogger:

Cátia Santos catiafsantos@hotmail.com

Segue-me:

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D