Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Rapariga na Aldeia

Blog pessoal de uma rapariga que vive na aldeia e às vezes vai à cidade.

A Rapariga na Aldeia

Blog pessoal de uma rapariga que vive na aldeia e às vezes vai à cidade.

Sugestão Saudável (79)

Post escrito pela nutricionista Liliana Janicas 

 

Intolerância ao Glúten

24203721_10215280436991119_970979262_n.png

 

Já ouviu falar do glúten? Pode-se dizer que o Glúten está na moda, muito se fala sobre a alimentação,  sobre dietas e alimentos sem glúten! Também ficou mais conhecido porque algumas celebridades fizeram dietas sem glúten e emagreceram uns quilos! Mas será que todos nós devemos retirar o glúten da alimentação? Ou que apenas deve ser retirado por aquelas pessoas que são intolerantes ao glúten? Vou então tentar esclarecer alguns tópicos que considero importantes.

 

 

O glúten é uma proteína presente no trigo, centeio e cevada. Pode também estar presente em alguns alimentos como a aveia, por contaminação cruzada. Seja na forma de pães, massas, bolachas, bolos... o contacto com o glúten aumentou drasticamente nos últimos 40 anos. Paralelamente, verificou-se também um aumento de casos de intolerância ao glúten, levantando a hipótese se poderá haver uma ligação. Se tiver a doença celíaca ou apresentar uma sensibilidade ao glúten, este deve ser retirado da sua alimentação.

 

1. DOENÇA CELÍACA

A Doença Celíaca (DC) é uma reação do sistema imunitário à presença de glúten, através de uma agressão do organismo contra o seu próprio intestino delgado. Este responde com a atrofia progressiva das suas vilosidades, responsáveis pela absorção de nutrientes no intestino delgado. Deste modo, todo o processo resulta numa má absorção intestinal e, consequentemente, défice de alguns nutrientes. Quanto mais precoce for o diagnóstico da Doença Celíaca, menos lesões existirão no intestino delgado. Na criança, o desaparecimento dos sintomas e a recuperação funcional do intestino são muito rápidas.

 

A DC nem sempre é fácil de diagnosticar uma vez que os sintomas podem ser muito variados. Os mais comuns são: diarreia frequente, de 3 a 4 vezes ao dia, flatulência, vómitos, irritabilidade, perda do apetite, emagrecimento sem causa aparente, distensão e dor abdominal, fadiga crónica, palidez, anemia, diminuição da massa muscular.
 
2. SENSIBILIDADE AO GLÚTEN (SGNC)

A sensibilidade ao glúten não-celíaca (SGNC) ocorre quando, após exclusão inequívoca da doença celíaca e análise de todos os sintomas e exames clínicos, é diagnosticada uma sensibilidade ao glúten, provavelmente devido à exposição frequente à proteína. Apesar de não ser considerada doença celíaca, os sintomas intestinais melhoram, ou até desaparecem, após retirar o glúten da dieta, mesmo em indivíduos com intestino saudável e que não apresentam, nos exames clínicos, os mesmos anticorpos presentes na doença celíaca. Indivíduos com SGNC são capazes de tolerar e processar o glúten, apesar dos sintomas desagradáveis provocados pela sua ingestão. Aparece maioritariamente em mulheres relativamente jovens (30 a 40 anos).
 

Os sintomas da SGNC podem ser muito diferentes de pessoa para pessoa, os principais sintomas são: dores no estômago, náuseas, diarreia, distensão abdominal, aerofagia, cólicas intestinais, obstipação, anemia, perda ponderal, depressão, enxaqueca, confusão mental, eczema ou dermatite e dores nas articulações e nos músculos. No geral, os sintomas ocorrem durante alguns dias (ou horas) após a ingestão de alimentos que contenham glúten.

24271303_10215280441831240_1653715712_o.png

 

Se apresenta a DC ou SGNC deve evitar o glúten, que está presente no trigo, centeio e cevada, cereais usados para fabricar farinhas, que constituem uma inúmera variedade de alimentos, como o pão, massas, bolos e bolachas. As farinhas tradicionais deverão  ser substituídas por farinha de milho, farinha de arroz, amido de milho, farinha de amendoim ou fécula de batata.

 

Por forma a substituir os alimentos proibidos, o arroz, a batata, a soja, a tapioca e a quinoa são alguns dos alimentos permitidos para celíacos.

 

É importante que o intolerante ao glúten siga a dieta que lhe é prescrita corretamente, para evitar as complicações que podem advir da patologia. Deste modo, é essencial verificar sempre os rótulo alimentares. Aqueles que são isentos de glúten estão devidamente rotulados com essa informação. É importante mencionar que apesar de alguns alimentos serem isentos de glúten, estes podem sofrer contaminação cruzada.

24259702_10215280453311527_1239115203_o.png

 

Caso não seja intolerante ao glúten e não apresente os sintomas acima descritos, não tem razões para evitar o glúten, mas obviamente deve dar preferência aos alimentos mais saudáveis e estar atento às reações de alguns alimentos no seu organismo 😁. Retirar o glúten durante 1 a 2 semanas pode ser uma estratégia se apresentar alguns sintomas, mas deve sempre consultar um especialista na área para um diagnóstico correto e uma alimentação saudável e equilibrada!

 

Cumprimentos Saudáveis,

15175450_10211532755061413_1171191621_n.jpg

Liliana Janicas

 

2 comentários

Comentar post

A Blogger

Sigam-me

Follow my blog with Bloglovin Follow

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D